Jornal Pires Rural - 10 anos de fatos

domingo, 11 de outubro de 2015

Fato inovador; uma mulher na presidência




A Associação dos Produtores Rurais de Cascalho – Cordeirópolis elegeu um novo presidente, Maíra Brambilla Maronesi, engenheira agrônoma recém formada pela ESALQ. Há 11 anos acompanha a produção de alimentos orgânicos pela família (associados) e agora enfrenta o desafio de gerir a Associação dos Produtores de Cascalho por ser uma jovem mulher e por liderar uma Associação marcada pela luta de manter avante a produção rural de Cordeirópolis.

Jornal Pires Rural: Qual é o seu envolvimento com a Associação dos Produtores Rurais de Cascalho?
Maíra B. Maronesi: Meus pais são associados; eu fiquei um tempo fora para estudar e não acompanhei muito o trabalho da Associação. Nos finais de semana, eu ajudava na propriedade e às vezes participava de alguma reunião.

Jornal Pires Rural: Por que você era uma forte candidata para a presidência?
Maíra B. Maronesi: Os associados apostam em mim porque eu sou recém formada, tenho a teoria, contatos fora daqui. Mas eu pretendo uma maior união para os associados, porque não é só a presidência que faz uma Associação.

Jornal Pires Rural: O que provocaria a união dos associados?
Maíra B. Maonesi: Trata-se de uma luta. A parte burocrática é complicada como no caso do Projeto de Microbacias Hidrográficas porque existe o dinheiro, a Associação tem interesse em pleitear, mas a burocracia e o seu entendimento pode dificultar ainda mais todo o processo. Um técnico pode avaliar melhor os documentos. Assim, a Associação poderá ter mais acesso a novos projetos que facilite o trabalho de todos.

Jornal Pires Rural: O que é emergencial para a Associação de Cascalho?

Maíra B. Maronesi: Questões como o tratamento da água consumida aqui no bairro sem tratamento. A Associação já vem buscando solucionar este grave problema que é o tratamento de água; portanto, tramita um projeto entre a CATI e a prefeitura municipal para o financiamento de poços artesianos para o bairro na tentativa de amenizar o problema da água (o que não resolveria). Outra questão é o plano diretor. É fundamental definir os limites da área rural para não mais permitir a instalação de indústrias na zona rural do município de Cordeirópolis. Determinar o tratamento de água e o plano diretor é uma condição prioritária para a Associação.



Matéria publicada originalmente na edição 41 Jornal Pires Rural, 31/05/2007-www.dospires.com.br]
Em comemoração aos 10 anos do início do Jornal dos Pires, logo acrescentado o Rural, tonando-se Jornal Pires Rural, estaremos revendo algumas das matérias que marcaram essa década de publicações, onde conquistamos a credibilidade, respeito e sinergia com nossos leitores e amigos. 
Quase sem querer iniciamos um trabalho pioneiro para a área rural de Limeira e região, fortalecendo e valorizando a vida no campo, que não é mais a mesma desde então…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Logo

Logo
Um Jornal a serviço da comunidade