Jornal Pires Rural - 10 anos de fatos

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

LIBERTADORES DO RISO



Jornal Pires rural: É difícil fazer rir?
Celso Ruy: Nem tanto, todos falam que o hospital é um lugar frio, as pessoas estão doentes e ficam sujeitas a não rir. Mas o Libertadores do Riso consegue fazer com que os pacientes hospitalizados sorriam. Tem clown que prefere atuar com idosos e ou crianças, mas como nada é premeditado na apresentação, o riso acontece naturalmente.

Jornal Pires Rural: Todos que se inscrevem para o curso de Clown chegam até a atuação?
Celso Ruy: O curso existe para que o voluntário possa constatar se ele realmente quer ser um clown. A turma que se formou hoje começou com 30 candidatos inscritos e apenas 14 se formaram e iniciarão suas atuações.

Jornal Pires Rural: Qual é a maior dificuldade?
Celso Ruy: A pessoa tem dificuldades de se expor. O curso explora o “ridículo” da pessoa, funciona como uma seleção natural. Por isso abrimos no máximo 30 vagas, porque temos a estimativa de que apenas 15 (em média) permanecerão com o grupo.

Jornal Pires Rural: Qual é a meta de trabalho depois de 10 anos de atuação na Santa Casa de Misericórdia em Limeira?

Celso Ruy: Com a formação desse novo grupo, queremos aumentar o número de dias de atendimento na Santa Casa. Hoje os atendimentos são realizados às segundas, quartas e sextas-feiras. Vamos realizar o trabalho todos os dias da semana.  


Matéria publicada originalmente na edição 45 Jornal Pires Rural, 31/07/2007-www.dospires.com.br]
Em comemoração aos 10 anos do início do Jornal dos Pires, logo acrescentado o Rural, tonando-se Jornal Pires Rural, estaremos revendo algumas das matérias que marcaram essa década de publicações, onde conquistamos a credibilidade, respeito e sinergia com nossos leitores e amigos. 
Quase sem querer iniciamos um trabalho pioneiro para a área rural de Limeira e região, fortalecendo e valorizando a vida no campo, que não é mais a mesma desde então…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Logo

Logo
Um Jornal a serviço da comunidade