Jornal Pires Rural - 10 anos de fatos

domingo, 11 de outubro de 2015

MOVIMENTO VIVA PIRES – LIMEIRA

No último dia 17 de março estiveram reunidos representantes de condomínios, chácaras particulares e sítios nas dependências da sede do Jornal dos Pires, zona rural de Limeira. A reunião com representantes dos condomínios faz parte da seqüência de comissões que o MOVIMENTO VIVA PIRES vem organizando com o forte objetivo de envolver a comunidade do bairro dos Pires em relação aos seus direitos e deveres. Tanto no que se refere ‘a busca permanente de atendimento das políticas públicas quanto ao cuidado com o local. O envolvimento dos moradores ocorre de maneira a se responsabilizar pela área adquirida e seu manejo de forma sustentável.
O bairro dos Pires tem um no ainda não revelado de condomínios e chácaras particulares. O prazo para dar entrada ao processo de regularização já se esgotou no ano passado e, existem dados de condomínios que não deram entrada ao processo. Os problemas não param por ai. Existem muitas famílias sem energia elétrica. O acesso por meio de transporte público é precário por não atender o bairro como um todo, o transporte escolar não atende as crianças em dias de chuva.


Estiveram reunidos representantes de condomínios, chácaras particulares e sítios nas dependências da sede do Jornal dos Pires
A Secretaria da Agricultura só tem atendido ao pedidos de emergência para manutenção de estradas e pontes quando a população chama a TV. Ainda falando desta secretaria, não dispõe de um programa de apoio ao produtor rural. Há 3 meses foi colocado á disposição dois engenheiros agrônomos para atender a demanda de produtores que plantavam mudas cítricas no chão (prática abolida desde 1998, e só agora veio o apoio para a frustração econômica destes produtores). As famílias que ainda resistem na área rural deste bairro não estão conseguindo (em sua grande maioria) “educar” os filhos para administrar as propriedades futuramente, isso nos leva a crer que essas propriedades serão vendidas tão logo haja dificuldades. O bairro está muito longe de receber um programa de sustentabilidade por parte da Secretaria da Agricultura.
Todo esse processo de vulnerabilidade tem levado o bairro a se organizar.

A Comissão de Pais de Alunos do bairro dos Pires.
A primeira Comissão a ser formada em 2006. Segundo Ivanete Ap. Laurindo Rodrigues, 1º tesoureiro da Comissão de Pais, os pais reinvidicaram junto ao Secretário Montesano no dia 24 de janeiro de 2007 a precariedade dos serviços oferecidos na unidade escolar da E.M.E.I.F. Martin Lutero (cujo prédio data de 1940 (século passado) e apresenta comprometimentos para a vida dos alunos que ali estudam) por isso justifica a construção de um novo prédio.
Outros pedidos referentes aos serviços daquela Escola foram destacados como: irregularidades na APM – Associação de Pais e Mestres, comercialização irregular de doces para alunos, falta de um inspetor de aluno, atendimento de duas linhas telefônicas instaladas dentro de duas salas de aula pelos professores que ali tem a forte missão de ensinar, rampa para deficientes físicos, n° de banheiros insuficientes, iluminação precária , direito a uma Assembléia para eleger a APM e direito a saber onde foi investido a verba do Pafe para aquela Escola, bebedouro sem condições adequadas de uso, instalações elétricas apresentando riscos, sala para os professores, sala para atendimento do pré I , dentista, bibliotecária, laboratório de informática no local,. Pedimos a presença atuante dos seguintes profissionais dentro da referida Escola: assistente social do Serviço Social Escolar, nutricionista responsável pelo cardápio dos alunos para avaliar a responsabilidade dos doces comercializados no local com a justificativa (nos recados para os pais) de que o dinheiro era usado para as reformas da escola, maior presença da diretora Ivana Foster Pezzoto Laurito.
Os resultados:
“A Comissão conseguiu ser atendida em alguns pedidos como:
O início das obras para agosto/07, uma inspetora de alunos, a qual passou a atender as duas linhas telefônicas, a interrupção da comercialização dos doces no local, uma rampa com corrimão para deficientes físicos, troca de lâmpadas , carteiras novas, uma Assembléia para eleição da APM” ,afirma Ivanete.

A próxima reunião está marcada para o dia 14 de abril de 2007, nas dependências da sede do Jornal dos Pires


A Comissão dos condomínios de chácaras de recreio.
No dia 17 de março estiveram presentes representantes das Associações dos condomínios: Moema, Morada do Sol, Estância Paraíso, Laranjal, Vale dos Ipês, Jacarandá, Colina Verde, Raio de Outono. Chácaras Santo Antonio, Nossa Senhora das Graças, Vital Bull e sítio Primavera. O objetivo é formar uma só força para que os condomínios e chácaras venham fazer parte do Movimento Viva Pires. Unidos as Associações também poderão adquirir produtos e serviços em comum com preço justo para trazer maior qualidade de vida para o bairro e moradores. E solidarizarem junto ás demais Comissões como a de Pais de Alunos e a do transporte público.
As Associações são unânimes na busca do atendimento permanente de políticas públicas para o bairro como direitos e não como assistencialismo. “Nós pedimos para fazer a manutenção das estradas e pontes, a Secretaria da Agricultura não atende ao pedido. Quando chamamos a TV eles vem até nós”, desabafa Sr. Pedro Smanioto Filho.
“O serviço de ônibus escolar não vai buscar minha filha de 5 anos porque a estrada está ruim. Se eu não mandar a minha filha pra escola (fica há 6 km da residência) o Conselho Tutelar vai me punir. Quem está errado?” revela Dagoberto Antonio Azanha
Dona Elisabete Sass Asbahr recolheu 420 assinaturas somente no Pires de baixo (o bairro é dividido em Pires de baixo, do meio e de cima), para que os moradores posam ter acesso a transporte público nesta região. “Eu fui de casa em casa de bicicleta para conseguir essas assinaturas. A empresa Vésper deu Ok, mas o processo está parado na Secretaria de Trânsito”, afirma.
Já os donos de chácaras que usam a Via Anhanguera para entrar na via de acesso ao bairro correm riscos por não terem o acesso seguro. “Quando chegamos ou saímos do bairro temos que aguardar uma fila muito grande num trajeto perigoso”, afirma Luciene Sampaio.     
A próxima reunião está marcada para o dia 14 de abril de 2007, nas dependências da sede do Jornal dos Pires.




Matéria publicada originalmente na edição 37 Jornal Pires Rural, 31/03/2007-www.dospires.com.br]
Em comemoração aos 10 anos do início do Jornal dos Pires, logo acrescentado o Rural, tonando-se Jornal Pires Rural, estaremos revendo algumas das matérias que marcaram essa década de publicações, onde conquistamos a credibilidade, respeito e sinergia com nossos leitores e amigos. 
Quase sem querer iniciamos um trabalho pioneiro para a área rural de Limeira e região, fortalecendo e valorizando a vida no campo, que não é mais a mesma desde então…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Logo

Logo
Um Jornal a serviço da comunidade