Jornal Pires Rural - 10 anos de fatos

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

O dia do agricultor

O papel do agricultor é um só, permanecer e produzir na terra. Saímos à procura de alguém que demonstrasse o real papel de agricultor brasileiro, respeitando algumas gerações e preocupado com a formação de filhos e netos. Alguém que tenha orgulho da profissão e que apresente mais motivação do que lamentos para o setor,e que, realmente pudesse comemorar mais um ano de trabalho.
A família dos Turato está caminhando para a quinta geração de agricultores em Artur Nogueira: o tataravô Vicente Turato,  bisavô José Turato, avô José Carlos Turato, a mãe Edinéia Turato Schwarz e o filho Rafael Schwarz (1 ano). Chegaram até à terceira geração de agricultores cultivando arroz, feijão, milho e mandioca; a partir do Sr. José Carlos, a inovação das máquinas trouxe a citricultura mantida pela família até hoje, ocupando 14 alqueires. A citricultura trouxe a modernidade para a propriedade dos Turato, mas ele revela que nunca participou de cursos ou capacitações, e vêm conseguindo produzir com sucesso durante todos esses anos.
Nascido e criado na lavoura, começou a trabalhar com o pai desde os 8 anos de idade, aprendendo com o pai os ofícios da agricultura. Lembra que chegava em casa ao meio dia e já sabia que teria que ir pra roça, as obrigações teriam que ser cumpridas e não discutidas, porque naquele tempo não se discutia com um pai, e sim obedecia. “A disciplina era forte, o pai era enérgico, mas não judiava. Trazia a gente sempre junto com ele, mesmo que não trabalhássemos como ele. Naquele tempo os jovens de 16 anos já estavam cansados de trabalhar, tinha emprego. Hoje não tem mais emprego para os jovens na agricultura”, afirma José Carlos.



Para Sr. José Carlos, o fato dos filhos acompanharem os pais durante o trabalho influenciava muito para que pudessem ter disciplina, conhecimento e amor pela profissão. Os filhos aprendiam com os pais a primeira profissão, agricultor. Revela que tem observado a falta de jovens na agricultura, e a presença dos mais velhos.

Quando questionado se o agricultor tem o que comemorar, afirma que sim, “ter emprego já é motivo para comemorar”, afirma. O neto Rafael já acompanha o pai Rodrigo Schwarz e o avô, já demonstra interesse pelas máquinas e na opinião da mãe Edinéia ele vai realizar o seu desejo e continuar a tradição da família que mantém a tradição de agricultores com muito orgulho. Parabéns para os agricultores.



 Matéria publicada originalmente na edição 45 Jornal Pires Rural, 31/07/2007-www.dospires.com.br]
Em comemoração aos 10 anos do início do Jornal dos Pires, logo acrescentado o Rural, tonando-se Jornal Pires Rural, estaremos revendo algumas das matérias que marcaram essa década de publicações, onde conquistamos a credibilidade, respeito e sinergia com nossos leitores e amigos. 
Quase sem querer iniciamos um trabalho pioneiro para a área rural de Limeira e região, fortalecendo e valorizando a vida no campo, que não é mais a mesma desde então…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Logo

Logo
Um Jornal a serviço da comunidade